Quarta-feira de Cinzas

Após as festividades de carnaval, os Arautos do Evangelho, na quarta-feira, recordaram no ato de imposição das cinzas, de onde saímos e para onde iremos, pois quando o sacerdote pronuncia a frase: “Lembra-te que és pó e para o pó retornarás”, nos deixa bem claro com que estado de espírito devemos passar o tempo quaresmal.

Nos primeiros séculos, apenas cumpriam este rito de imposição das cinzas os grupos de penitentes ou pecadores que queriam receber a reconciliação com Deus no final da quaresma, na Quinta-feira Santa, às portas da Páscoa. Vestiam um hábito penitencial e espalhavam as cinzas na sua própria cabeça, e desta forma apresentavam-se diante da comunidade, expressando a sua vontade de conversão.

A partir do século XI, quando desaparece o grupo de penitentes como instituição, o Papa Urbano II estendeu este rito a todos os cristãos no início da quaresma. As cinzas, símbolo da morte e do nada que é a criatura em relação a seu Criador, obtêm-se por meio da queima dos ramos de palmeiras e de oliveiras abençoados no ano anterior, na celebração do Domingo de Ramos. Nesta ocasião Nosso Senhor é aclamado como rei em Jerusalém e uma semana depois foi crucificado e morto no alto do Calvário.

Um Comentário para: “Quarta-feira de Cinzas

  1. Tenho e venho sempre acompanhando os diversos textos neste site, e acho uma maravilha fazer parte de uma tão grandiosa obra de evangelização, e através deste mundo virtual que nós possamos sempre buscar o incentivo para os jovens de hoje, deixando assim a mensagem de que, Deus vive e Reina para sempre e que Ele vive sem cada um de nós, mais nós não vivemos sem Ele.

    Grato
    Júnior – Coordenador do Grupo Homens do Terço
    Lajes Pintadas/RN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*